Comunicação Não-Violenta

“Embora possamos não considerar que a forma como falamos seja “violenta”, o que é certo, é que as palavras levam muitas vezes à mágoa e à dor, seja para os outros ou para nós mesmos.”

Marshall Rosenberg

O que é Comunicação Não Violenta (CNV)?

A CNV é baseada nos princípios da não-violência. Assumindo que todos nós somos compassivos por natureza e que as estratégias violentas – verbais ou físicas – são comportamentos aprendidos, ensinados pela cultura dominante. A CNV também defende que todos nós partilhamos as mesmas necessidades humanas básicas, e que todas as ações são uma estratégia para atender a uma ou mais dessas necessidades. As pessoas que praticam CNV são mais autênticas na forma como comunicam, mais compreensivas e revelam uma grande capacidade de resolução de conflitos com resultados ganha-ganha.

Os quatro passos da CNV:

  • Observação (quais são os factos da situação- sem julgamento ou crítica)
  • Sentimentos (o que os factos específicos daquela situação nos fizeram sentir)
  • Necessidades (quais as necessidades que não estão a ser atendidas)
  • Pedidos (como alcançar a satisfação mútua das necessidades presentes na situação)

The Center for Nonviolent Communication

Livro: “Comunicação não violenta.”

Inner dance

”Em total ​​silêncio, é esse rio que flui do cosmos para o coração. Dançava a partir do Eu Superior, e eu simplesmente assistia a esse movimento, ao movimento do fluxo do universo. ” – Pi Villaraza, fundador do Inner Dance

O Inner Dance é um processo transformador de auto-despertar, que leva a pessoa organicamente a render-se à existência autêntica e significativa por meio de uma cura intuitiva e de um trabalho de libertação.

Quando nos entregamos a um processo de energia sensorial, desperta em nós a lembrança do nosso Eu Verdadeiro por meio de uma consciência interna. Essa consciência pode expandir se e permitirá que sinta, experimente e perceba a conexão e união existente entre si e com tudo o que existe. Chegar à consciência desta energia traz para a maioria das pessoas uma existência mais revigorada, sustentável e harmoniosa com outros e com o próprio planeta.

O Inner Dance frequentemente:

  • Desfolha as camadas das nossas limitações mentais condicionadas;
  • Revela nossos princípios mais profundos e a nossa Missão da Alma – o nosso caminho de vida;
  • Desperta a intuição – um despertar espiritual;
  • Liberta emoções antigas – traumas;
  • Recorda-nos da nossa totalidade – unidade

Inner Dance Site

Conversas Cruciais

“Lembrem-se, saber sem colocar em prática, não é realmente saber.”

Kerry Patterson

O que é uma Conversa Crucial (CC)?

Quando pensamos em Conversas Cruciais, provavelmente o que nos vem à cabeça são presidentes, primeiros-ministros, reis, imperadores, etc. reunidos a debater o futuro do mundo…. Na verdade as CC são bem mais simples do que isso, são as conversas do dia-a-dia que afetam a nossa vida e/ou a vida de outros, porque progrediram para uma situação em que: (1) os desafios/riscos são altos, (2) as opiniões variam/divergem, (3) as emoções são fortes e (4) o resultado tem um alto impacto na vida das pessoas envolvidas em que poderá haver um risco significativo de consequências negativas.

Existem três maneiras de lidar com Conversas Cruciais:

  1. Evitar as mesmas;
  2. Desempenho medíocre devido à ativação do sistema nervoso (luta-foge-congela) ou à falta de preparação;
  3. Desempenho eficaz.

Site da Vital Smarts

Livro: “Conversas Cruciais”

Círculos de transformação

Viver é um incrível processo de descoberta. Fazemos parte desse continuum de descoberta. Cada geração recebendo um legado da geração que a precedeu, transformando-o e legando-o à geração seguinte.
Na medida da consciência de cada pessoa, assumimos, quer queiramos quer não, o legado da nossa ancestralidade e do reservatório cultural partilhado pela humanidade. Na medida dessa mesma consciência, operamos as transformações possíveis, que a seu tempo determinarão o legado que passaremos à geração seguinte.

Cada um de nós recebeu uma perspetiva única do continuum da vida, uma forma de ver, pensar, sentir e um potencial de desenvolvimento e transformação desse mesmo continuum (mesmo que apenas me transforme a mim mesmo já estou a transformar o continuum).

A prática de sentar em círculo e estabelecer pontes intergeracionais / interculturais, é uma prática milenar pela qual podemos aceder à inteligência do continuum, integrar aspetos da nossa história partilhada, corrigir o curso de determinadas ações, encontrar o nosso lugar como membros da comunidade, desenvolver a nossa visão e voz – a nossa vida já não é algo separado da Vida.
Estamos todos juntos nesta jornada – passado, presente e futuro…

É frequente, com o passo acelerado que atualmente vivemos e com a crescente autonomia de que beneficiamos, deixarmos de tomar parte na sustentação destes círculos. Parece que se faz necessário passarmos por uma boa dose desconexão connosco mesmos, para que este retorno a casa se torne uma possibilidade.

Regeneração

O que é Regeneração?

Regeneração é um paradigma que engloba um conjunto de capacidades, baseadas na consciência de que todas as formas de vida são únicas e ancoradas no seio de outras formas de vidas, criando assim sistemas vivos maiores e interligados.

A Regeneração traduz-se em processos que acrescentam valor. Ter a compreensão de que um empreendimento ou uma entidade é um processo de acrescentar/contribuir valor, significa ver o processo como algo vivo que se desdobra, que floresce em direção ao seu maior potencial – a expressão mais plena da sua essência – tornando se mais e mais naquilo que pode ser, colocando mais potencial no mundo.

Livro (em Inglês) “The Regenerative Life

Relacionamentos

A vida é feita de relacionamentos, relaciono-me comigo, com outras pessoas, organizações, objetos, ideias, a vida, o cosmos… Conheço-me, ao ver-me refletido no espelho das múltiplas relações de que faço parte. É uma dança entre o que sou eu, o que são os outros, onde estão as interseções, onde estão os limites e fronteiras… Poder-se-á especular que a área dos relacionamentos é aquela com maior potencial para tornar a nossa vida maravilhosa ou miserável. Talvez por isso seja uma das áreas mais estudadas, valendo a pena olhar com senso critico e aprender com aqueles que têm apresentado bons trabalhos e investigações sobre as dinâmicas relacionais.

Ficam abaixo algumas sugestões, umas mais convencionais e outras mais provocadoras…

Intimidade e sexualidade

Esther Perel, tem uma longa experiência de trabalho com casais em crise, especialmente em situações de perda da chama, vivência de uma traição, redescobrir a sexualidade e erotismo.

É Autora dos livros:  (In)Fidelidade e Amor e Desejo na Relação Conjugal

“A ideologia moderna do amor é convincente. Nunca antes o casal foi uma unidade tão central na organização social. Nunca esperámos tanto dos nossos relacionamentos íntimos e nunca nos encontrámos a tal ponto de podermos desmoronar sob o peso de tantas expectativas. ”                                                                                                                                                                                        Esther Perel

Esther Perel – Official Site

Longevidade nos relacionamentos

John Gottman é um psicólogo com mais 40 anos de experiencia, como investigador na área dos relacionamentos de casal. A sua reputação é mundialmente reconhecida, pelas suas investigações sobre estabilidade conjugal, tendo criando uma fórmula que ajuda a predizer a probabilidade de divórcio num casamento.

Livro: Sete Princípios para o Casamento Dar Certo”

“Relações de longa duração são feitas de pequenas palavras, pequenos gestos, pequenas ações.”

John M. Gottman

Parentalidade

“As crianças não necessitam que concordem com os seus sentimentos; elas necessitam que os seus sentimentos sejam reconhecidos ”

“É importante fazer uma distinção entre permitir os sentimentos e permitir ações, devemos permitir que as crianças expressem os seus sentimentos. Mas não devemos permitir que elas se magoem ou magoem outros. É nossa responsabilidade mostrar-lhes como expressar sentimentos de zanga sem magoar ou causar danos.”

                                                                                                                            Adele Faber & Elaine Mazlish

Adele Faber e Elaine Mazlish, reconhecidas internacionalmente, são especialistas em comunicação entre adultos e crianças, e conquistaram a gratidão dos pais e o apoio entusiástico da comunidade profissional.

Livro: Como Falar para as Crianças Ouvirem”

Ver também os livros de John Gottman relativos a crianças: “Inteligência Emocional e a Arte de Educar”

“Quando os pais oferecem aos seus filhos empatia e ajudam os a lidar com emoções ditas negativas como, zanga, medo, tristeza, estes pais estão a construir pontes de afeto e lealdade.” 

John M. Gottman